Imagem Corporativa

Por ano, estima-se que 200 mil pessoas são vítimas de morte súbita no Brasil

Notícia   •   Jan 11, 2016 16:55 GMT

As doenças cardiovasculares, como insuficiência cardíaca, infarto, acidentes vasculares cerebrais e angina, são as principais causas de morte no mundo, sendo que 50% se manifestam de maneira súbita. Segundo o Dr. Silas Galvão Filho, cardiologista da Beneficência Portuguesa de São Paulo, 20% dos casos de mortes naturais são caracterizados como súbitos. Desfibriladores Externos Automáticos (DEA) contribuem para o socorro rápido, reversão de parada cardíaca e consequentemente prevenção da morte súbita, mas levar um estilo de vida saudável e visitar o cardiologista é o melhor caminho para prevenção.

Em alguns países da Europa e nos EUA, o uso de DEA em locais de grande circulação de pessoas vem contribuindo para uma retração no número de mortes súbitas e salvando muitas vidas. Hoje, todas as estações de metrô de São Paulo têm desfibriladores e os funcionários são treinados. Segundo dados do Metrô, o uso desses equipamentos aumenta para 50% o índice de sobrevida em casos de parada cardíaca ocorrida nas estações.

Os dados comprovam que o assunto é sério e isso significa que é preciso estar constantemente atento à saúde do coração. Portanto, busque praticar exercícios regulares com auxílio de um profissional, tenha uma alimentação saudável, durma pelo menos oito horas por dia e faça check ups anuais. O cardiologista alerta que a prevenção e a realização de ckeck up é o melhor caminho. “Evitar a morte súbita pode ser simples, com bons hábitos de vida e, principalmente, consultando periodicamente um cardiologista”, explica.

A “Prevenção de Morte Súbita” foi tema da palestra do Dr. Silas no II Simpósio de Cardiologia, evento gratuito, realizado em novembro pela Beneficência Portuguesa de São Paulo à comunidade médica, no Hotel Tivoli Mofarrej, em São Paulo. “O objetivo da palestra foi chamar atenção para esse grave problema que é a morte súbita, que traz consequências sérias à sociedade e é bem mais frequente do que se imagina”, ressalta Silas Galvão.

Sobre Beneficência Portuguesa de São Paulo

Fundada em 1859, a Beneficência Portuguesa de São Paulo (www.beneficencia.org.br) é a maior instituição hospitalar privada da América Latina, contando com aproximadamente 7.500 colaboradores e 3.000 médicos, e com uma gestão baseada na qualidade assistencial, humanização, ensino e pesquisa, além de um corpo clínico formado por renomados especialistas. A instituição é referência no atendimento médico hospitalar em mais de 50 especialidades, como cardiologia, oncologia, neurologia, gastroenterologia, ortopedia, urologia, entre outras. Atualmente, a Beneficência Portuguesa conta com três hospitais que somam mais de 1.200 mil leitos de internação. O Hospital São Joaquim, primeiro pilar da Instituição, realiza atendimento ao Pronto Socorro, UTIs, Internações e Cirurgias. Em 2007, foi inaugurado o Hospital São José, que se destaca pelo atendimento oncológico com padrões internacionais, entre outras especialidades. Em 2012, o Hospital Santo Antônio foi criado com o objetivo de oferecer atendimento a pacientes usuários do Sistema Único de Saúde, reforçando a responsabilidade social e carácter beneficente da Associação. Já em 2013, a Instituição criou o Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes para ser um dos maiores e mais completos núcleos de tratamento de câncer no país.