Beneficência Portuguesa de São Paulo

Clínica de Monitoramento Cardíaco Remoto da Beneficência Portuguesa é pioneira no acompanhamento de portadores de marca-passo

Release   •   Set 22, 2014 14:00 GMT

Com foco em proporcionar segurança aliada ao conforto, a medicina está cada vez mais desenvolvida e a ciência cria procedimentos que facilitam o dia a dia do paciente. Um exemplo disso é o marca-passo com monitoramento cardíaco remoto. Sem contraindicações ou riscos para o paciente, o sistema permite acompanhamento diário, alertando o médico com mensagens via tablet classificadas por sua gravidade, caso haja uma arritmia, bateria fraca ou mau funcionamento no equipamento.

O primeiro procedimento de marca-passo com monitoramento remoto foi realizado pela clínica Ritmologia Cardíaca, instalada nas dependências da Beneficência Portuguesa de São Paulo, que hoje é responsável por 15% dos pacientes monitorados no Brasil. De acordo com o cardiologista Carlos Eduardo Duarte, daBeneficência Portuguesa de São Paulo e sócio da Clínica de Ritmologia, o sistema é um importante avanço para a medicina. “Metade dos pacientes nos Estados Unidos já são monitorados e fazem avaliações a distância. Mesmo estando disponível desde 2004, nunca foi devidamente explorada clinicamente em nosso país”, afirma o especialista.

Com o marca-passo sem monitoramento remoto, o paciente precisa fazer consultas frequentes ao médico, em média a cada três ou seis meses, de acordo com a necessidade de cada caso.  Com o acompanhamento à distância, a visita ao médico pode ser feita por ano para uma vez este fim, mas todo dia o médico recebe informações sobre o estado de funcionamento do sistema, assim como dados clínicos dos pacientes. De acordo com o cardiologista, essa é uma ótima alternativa para pacientes que moram em estado diferente de seu médico especialista. “O mais importante é a possibilidade de antecipar o diagnóstico de anormalidades tais como: desgaste da bateria, problema nos cabos-eletrodos do aparelho ou de arritmias que poderiam causar alguma morbidade para o paciente.”

Por um estudo exclusivo da Beneficência Portuguesa de São Paulo “Strategy-HM", o paciente pode adquirir a tecnologia pelo Sistema Único de Saúde por meio de uma parceria com a Biotronik, empresa pioneira neste tipo de monitoramento. “Os pacientes submetidos a implante de marca-passo, cardiodesfibrilador ou ressincronizador, vão ser alocados aleatoriamente em dois grupos, seja acompanhamento tradicional ou monitoramento remoto. O interesse é otimizar o acompanhamento dos pacientes, que muitas vezes tem dificuldades de acessar avaliações especializadas e difundir esta estratégia de acompanhamento”, explica o cardiologista.

Sobre Setembro Vermelho

Com seu histórico e expertise com os cuidados do coração, a Beneficência Portuguesa de São Paulo, centro de excelência internacional em cardiologia há mais de 30 anos, lança, em parceria com o Instituto Lado a Lado, o Setembro Vermelho. A campanha visa alertar a população sobre formas de prevenção, tratamento e riscos das doenças cardíacas. 

 Ao longo do mês, serão realizadas diversas ações dentro e fora das unidades da Beneficência Portuguesa de São Paulo, para engajar seus colaboradores e seu público externo na disseminação de informações sobre as doenças cardíacas.

Sobre a cardiologia da Beneficência da Portuguesa de São Paulo

O trabalho bem feito por equipes médicas e procedimentos inovadores, faz da instituição uma referência cardiológica. Fatos históricos demonstram isso.  Na década de 1960, a instituição foi a primeira a adquirir um aparelho de Ecocardiograma, exame realizado para detectar alterações estruturais ou funcionais do coração. Mais tarde, nos anos 80, realizamos o primeiro transplante duplo de coração e pulmão, bem sucedido no país.  O pioneirismo não parou por aí e na década de 2000 realizou, também pela primeira vez no Brasil, uma cirurgia para correção de doença cardíaca infantil, a hipoplasia do coração, que durante muito tempo vitimou recém-nascidos.

Além disso, milhares de procedimentos cardíacos são realizados anualmente pela Beneficência Portuguesa de São Paulo. São mais de oito mil cirurgias cardíacas por ano, sendo cerca de 700 cardíacas pediátricas, além de quase três milhões de exames laboratoriais por ano.  Mas os atendimentos realizados pelo Sistema Único de Saúde (SUS) merecem ainda mais destaque, pois, em 2010, 69% das revascularizações do miocárdio, 75% das cirurgias cardíacas pediátricas, 31% dos cateterismos cardíacos e 23% das hemodinâmicas totais do Estado de São Paulo foram realizadas pela instituição. 


Sobre a Beneficência da Portuguesa de São Paulo

Fundada em 1859, a Beneficência Portuguesa de São Paulo é a maior instituição hospitalar privada da América Latina, contando com aproximadamente 7.500 colaboradores e 2.200 médicos, e com uma gestão baseada na qualidade assistencial, humanização, ensino e pesquisa, além de um corpo clínico formado por renomados especialistas. A instituição é referência no atendimento médico hospitalar em mais de 60 especialidades, como cardiologia, oncologia, neurologia, gastroenterologia, ortopedia, urologia, entre outras. Atualmente, a Beneficência Portuguesa conta com três hospitais que somam mais de 2.000 mil leitos de internação. O Hospital São Joaquim, primeiro pilar da Instituição, realiza atendimento ao Pronto Socorro, UTIs, Internações e Cirurgias. Em 2007, foi inaugurado o Hospital São José, que se destaca pelo atendimento oncológico com padrões internacionais, entre outras especialidades. Em 2012, o Hospital Santo Antônio foi criado com o objetivo de oferecer atendimento a pacientes usuários do Sistema Único de Saúde, reforçando a responsabilidade social e carácter beneficente da Associação. Já em 2013, a Instituição criou o Centro Oncológico Antônio Ermírio de Moraes para ser um dos maiores e mais completos núcleos de tratamento de câncer no país.