Skip to main content

RP da CDN entende que conteúdo é o mais importante nas midias sociais

Release   •   Mai 18, 2016 00:52 GMT

Silvia Ruiz, Head of Digital da agência CDN

Universidades precisam entrar no ritmo do mercado de comunicação corporativa agilizando a

preparação de mão de obra qualificada para o novo tempo deste segmento. É urgente a reforma do

conteúdo curricular.

Críticas ao modelo de ensino de comunicação nas faculdades foram disparadas tanto pela

palestrante Silvia Ruiz, Head of Digital da CDN, agência de comunicação que hoje faz parte do

grupo África. A conclusão tanto de Silvia como dos participantes é de que as universidades

continuam fora do ritmo da evolução do mercado e que temas como midia programática continuam

fora do currículo das escolas. “Estamos em momento de mudanças. A mudança doi, é difícil de ser

realizada, representa um choque, mas é preciso mudar, porque é uma exigência do mercado”,

afirmou Silvia.

As empresas hoje não precisam mais de assessoria de imprensa, pois as marcas produzem o seu

próprio conteúdo, conseguem seduzir o consumidor, observa a palestrante. “Por que falar com o

jornalista, se eu posso chegar ao consumidor, por um meio mais dinâmico?”, questiona a relações

públicas da CDN.

Silvia afirma que não existe influencia digital. O que há é o influenciador digital, aquele que está

sempre acessando as mídias sociais, que comenta com os amigos, nos mais diferentes ambientes,

que compartilha. Não tem sentido, hoje, segundo ela, discutir se a comunicação é off line ou on line.

“Ela é on live”, explica a profissional, que desaconselha a compra de seguidores para a midia social

de uma empresa. Diz que esse modelo não garante resultados. “Seguidor deve ser conquistado com

um bom conteúdo”, informa.

A responsável pelas midias digitais da CDN também aconselha aos profissionais que fazem esse

tipo de comunicação que escolham bem os influenciadores. Eles precisam estar afinados com os

objetivos do cliente. Cita o exemplo de uma empresa que utilizou uma influenciadora para produtos

dietéticos, que é uma severa crítica de produtos que contém glutem e que também são largamente

fabricados pela companhia.

A vocação da Mega Brasil é promover informações, notícias, eventos, agendas e tudo mais que acontece no Mercado da Comunicação.

Fernando Bispo: Universidade Anhanguera (Vila Mariana) – Projeto Galileo

Comentários (0)

Adicionar comentário

Comentário